Fujitsu projeta plataforma de descoberta de medicamentos

A Fujitsu criou, em parceria com a PolarisQB, uma inovadora plataforma de descoberta de medicamentos projetada para apoiar as empresas farmacêuticas a trazer remédios vitais para o mercado de forma mais rápida e econômica. A inovação usa uma combinação de tecnologias que inclui inspiração quântica, aprendizado de máquina e simulações de mecânica quântica híbrida e mecânica molecular para transformar o processo de descoberta de medicamentos.

O projeto piloto da plataforma está identificando as moléculas corretas necessárias para desenvolver uma cura para a dengue, uma doença disseminada com 100 milhões de infecções e 22 mil mortes por ano. Ainda não há cura para a doença que seja adequada para todas as pessoas afetadas.

Como primeiro passo, a plataforma busca identificar as moléculas necessárias para a produção desses remédios. Depois que as moléculas são identificadas, o algoritmo de machine learning da PolarisQB e as simulações de mecânica molecular, avaliam rapidamente se elas possuem todas as propriedades que um medicamento precisa para ser comercializado.

Ao mesmo tempo em que outros métodos revisam dezenas de milhões de moléculas, a plataforma pode revisar bilhões. A tecnologia Digital Annealer, de inspiração quântica, é a mais rápida do mercado, com uma velocidade 10 mil vezes maior que as outras soluções disponíveis. Isso reduz o tempo necessário para alcançar os primeiros estágios do desenvolvimento de medicamentos, que passar de dois a quatro anos para apenas oito meses.

Em epidemias como a do coronavírus, fica clara a necessidade de processos mais rápidos para encontrar uma cura, e esta plataforma foi projetada para apoiar as empresas farmacêuticas a reagir de maneira eficaz e em ritmo acelerado. Patrick Stephenson, diretor de inovação e saúde da Fujitsu do Reino Unido, afirma que o Digital Annealer da Fujitsu é uma tecnologia verdadeiramente pioneira e terá impacto significante na melhoria do processo de descoberta de medicamentos. “Estamos ansiosos para expandir essa plataforma para combater muitas outras doenças no futuro, permitindo que novos medicamentos sejam trazidos aos pacientes de maneira mais rápida e econômica”, completa.

Já Shahar Keinan, CEO da PolarisQB, explica que a empresa está animada em participar da criação de uma nova plataforma que pode revolucionar a produção de medicamentos. “Acreditamos que o desenvolvimento das medicações atingiu um ponto de inflexão que alavancou os avanços. Com a computação quântica, podemos alcançar uma velocidade maior nos processos e responder a necessidades claras do mercado”.

Estima-se que as novas moléculas para um remédio contra a dengue sejam disponibilizadas até maio de 2020. Desta forma, os parceiros farmacêuticos poderão passar para o próximo estágio no processo de descoberta de medicamentos.