Plataforma facilita rotina de pesquisadores

Após um ano de aceleração dentro do projeto StartUp Brasil, do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicação (MCTI), com gestão da Softex, a startup iBench, criada por cientistas da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), foi selecionada pelo BNDES Garagem – uma iniciativa de apoio às startups brasileiras que visa ao desenvolvimento de um centro de inovação no estado do Rio de Janeiro.

A ideia, segundo as cofundadoras Andreia Oliveira e Débora Moretti, ex-bolsistas da Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Rio de Janeiro, é facilitar o dia a dia de pesquisadores brasileiros, procurando eliminar burocracia e trâmites que consomem boa parte da rotina de quem faz pesquisa no país e geram desperdício de recursos públicos. Elas ressaltam que pensar em inovação para o desenvolvimento econômico de um país foi o que as motivou.

“A proposta da iBench é oferecer soluções de tecnologia aos laboratórios de pesquisa e análises e estimular o avanço científico do país, em um movimento de remodelagem da ciência, além de facilitar a prestação de contas às agências de fomento”, explicam as pesquisadoras.

A primeira solução que criaram foi o iBenchMarket, que consiste em um marketplace dedicado a produtos laboratoriais. O iBenchMarket possui três finalidades: agilizar a procura de produtos e fornecedores, comparar preços e características desses produtos e avaliá-los, dando espaço para que pesquisadores analisem os serviços, custos e benefícios. Além disso, no iBenchMarket, cientistas das mais diversas áreas poderão conjugar os produtos de vários fornecedores em apenas uma compra.

Dada a sua maturidade em termos de gestão, para uma empresa tão pequena, a iBench chegou à semifinal do prêmio de inovação da indústria do Sebrae, da Confederação Nacional da Indústria (CNI).