Hospital Nipo-Brasileiro é um dos mais inovadores de 2019

O Hospital Digital é o mais novo conceito consagrado globalmente para definir e conciliar a incorporação e uso da tecnologia e da gestão de processos nas rotinas operacionais, para a superação dos crescentes desafios na área de assistência à saúde. Mais do que apenas uma tendência, a incorporação das novas tecnologias nos processos gerenciais na rotina de atendimento médico-hospitalar revela-se cada vez mais presente na prática e esforço das instituições de saúde voltados para o conforto e segurança dos pacientes.

Focado estrategicamente nesse objetivo, o Hospital Nipo-Brasileiro (HNB) tem investido significativos recursos  para aquisição e incorporação de novas tecnologias e sistemas gerenciais capazes de otimizar ainda mais a qualidade de seu atendimento dentro dos padrões nacionais e internacionais de acreditação. A instituição foi eleita, em pesquisa realizada pela revista Medicina S/A, um dos 25 hospitais mais inovadores da saúde de 2019.

Além da recertificação da qualidade de serviços em nível 3, a maior concedida pela ONA – Organização Nacional de Acreditação, em janeiro deste ano, o Hospital Nipo-Brasileiro (HNB) tornou-se integrante do Processo de Acreditação Qmentum Internacional, certificado pela HSO – Health Standards Organization – Aliança Global para Desenvolvimento e Implementação de Padrões de Excelência em Saúde.

Paralelamente à incorporação dos processos de certificação da qualidade de  seus serviços em nível nacional e internacional, o Hospital Nipo-Brasileiro vem promovendo também um efetivo alinhamento de novas tecnologias em sua rotina operacional, visando otimizar ainda mais a qualidade e a eficiência consagrados historicamente em seu atendimento.

Alinhamento

Para o Dr. Walter Amauchi, Superintendente Geral do Hospital Nipo-Brasileiro, esse alinhamento das novas tecnologias nos processos operacionais e gerenciais já está evidenciado na incorporação de softwares de última geração e sistemas de armazenagem da imagiologia produzida na assistência aos pacientes, além de inovações em diversas outras atividades do atendimento.

Nesse sentido, Dr. Walter Amauchi  revela que encontram-se em fase final de adoção na rotina de atendimento do HNB, as tecnologias Mobile que, através de SmartPhones,  aumentam ainda mais a segurança na assistência aos pacientes,  bem como a implementação das chamadas tecnologias IOT (Internet of things) ou “Internet das Coisas “. Já em fase de testes no Centro Cirúrgico, essas tecnologias permitirão ao HNB um melhor controle, através do monitoramento em tempo real,  dos fluxos assistenciais e interação com equipamentos, otimizando os protocolos de cirurgia segura.

Adicionalmente, Dr. Walter Amauchi destaca a utilização de painéis eletrônicos em todos os postos de enfermagem do HNB, através dos quais, os pacientes e familiares têm um acompanhamento visual e em tempo real, dos cuidados assistenciais a ele prestados: “Mais do que apenas práticas de sustentabilidade voltadas para a redução de desperdícios e melhora da eficiência operacional, todos investimentos em novas tecnologias e sistemas gerenciais que vem sendo implementados pelo Hospital Nipo-Brasileiro tem como principal objetivo o contínuo aprimoramento dos serviços de atendimento para garantir um maior conforto, segurança e satisfação de nossos pacientes”, enfatiza ele.

Conceitos

Como responsável pela integração e interação dessas novas tecnologias e sistemas gerenciais na rotina dos serviços de atendimento do HNB, o executivo Erik Shiniti Oki, (CIO), destaca que essa articulação operacional está rigorosamente em linha com os novos conceitos que caracterizam o chamado Hospital Digital, que conciliam e otimizam tempo, processos e recursos.

Erik Shiniti Oki acrescenta que a incorporação dessas novas tecnologias visa permitir que todas as informações do HNB sejam devidamente armazenadas em um sistema de gestão principal que possa interagir durante todo o tempo com os demais sistemas que ele utiliza em seu atendimento e que sejam, ao mesmo tempo, imprescindíveis ao seu pleno funcionamento operacional.

Segundo ele, o objetivo de garantir a eficiência operacional, qualidade assistencial e a segurança ao paciente sinalizados pelo conceito de hospital digital, na realidade está atrelado às orientações de um roteiro integrado de oito (8) estágios sugerido pela HIMSS –  Healthcare Information and Management Systems Society (Sociedade de Informação em Saúde e Sistemas de Gestão) e considerado hoje a principal referência na área da saúde.

Estágios

De maneira sintética, os oito estágios sugeridos pela HIMSS que indicam a evolução de todo o processo que define o conceito de hospital digital, são:

Estágio 0 – Os três sistemas clínico-departamentais  – Laboratório (LIS);  Radiologia (RIS); e Farmácia (PHIS) – não instalados ou não integrados e sem nenhuma disponibilização on-line de informações;
Estágio 1 – Sistemas para Laboratório, Radiologia e Farmácia instalados e integrados; ou resultados de exames disponibilizados on-line a partir de prestadores de serviços externos;
Estágio 2 – Repositório de dados clínicos (CDR) instalado e centralizado. Pode ter um Vocabulário Médico Controlado (CVM), um sistema de apoio à decisão clínica para checagem básica de interações e capacidade de intercâmbio de informação clínico-assistencial;
Estágio 3 – Documentação de enfermagem no Prontuário Eletrônico do Paciente (PEP), inclusive com a checagem de enfermagem registrada no sistema. Sistema de Apoio à Decisão Clínica (CDSS) para verificação de erros durante a prescrição e solicitação de exames. Sistema de Arquivamento e Comunicação de Imagens (Picture Archiving and Communication SystemPACS) disponível fora da Radiologia;
Estágio 4 – Sistema de Prescrição e Solicitação de Exames e Procedimentos (CPOE) instalado em pelo menos uma área assistencial. Sistema de apoio à decisão clínica baseado em protocolos clínicos;
Estágio 5PACS com as principais modalidades de diagnósticos, com possibilidade de eliminação do filme (filmless).
Estágio 6 – Circuito fechado da administração de medicamentos, inclusive com checagem à beira leito. Interação da documentação médica com sistemas de apoio à decisão clínica (modelos estruturados e alertas de variância e conformidade);
Estágio 7PEP completo em pleno uso por todos os setores do hospital. Integração para compartilhar informações clínicas. Depósito de dados digitais (Data Warehouse) alimentando relatórios com resultados clínico-assistenciais, qualidade e Business Intelligence (BI). Dados clínicos disponíveis entre todos os setores: emergência, internação, UTI, ambulatório e centro cirúrgico.
Selo digital

Erik Shiniti Oki destaca que esses oito estágios elencados pela  HIMMS, na prática, podem ser resumidos em cinco abordagens tecnológicas que as entidades médico-hospitalares devem percorrer para a conquista do valioso Electronic Medical Record Adoption Model (EMRAM), selo de acreditação digital conferido pela HIMSS – Healthcare Information and Management Systems Society:

  1. Digitalização das informações do Prontuário do paciente;
  2. Sistemas de Apoio à Decisão Clínica: para verificação de erros durante a prescrição e pedidos de exames, circuito fechado de administração de medicação, além de protocolos clínicos como base de ações;
  3. Capacidade de Intercâmbio de Informações e Relatórios Complexos;
  1. Utilização Completa e Plena de Soluções de Gestão Hospitalar: (PEP) Prontuário Eletrônico do Paciente, (CPOE) Sistema de Prescrição e Solicitação de Exames e Procedimentos e (PACS) Sistema de Comunicação e Arquivamento de Imagens.
  1. Integração: Determinados equipamentos médicos (Monitor multiparamétricos).
Investimentos

O HNB estabeleceu o alinhamento do setor de tecnologia da informação ao seu board estratégico buscando o conceito de Hospital Digital sem perder o atendimento humanizado pelo qual a instituição é reconhecida. De acordo com Jorge Ares Garcia, Gerente de TI do Nipo-Brasileiro, esse esforço visa cumprir a visão institucional da instituição, em ser reconhecida pela sua excelência na prestação de serviços com segurança e tecnologia, mas sobretudo fortalecer seu foco no atendimento humanizado.

“Além da melhoria contínua dos processos na gestão da saúde e na qualidade do nosso atendimento, a instituição busca potencializar questões da segurança do paciente na assistência com aplicação permanente de treinamentos, busca por certificações de qualidade e tecnologias de apoio que fortaleçam a segurança. O investimento de recursos e tempo em gestão de processos e projetos está fornecendo resultados tangíveis na implantação e adoção de tecnologias de apoio a instituições, transparecendo a efetividade e retorno dos investimentos”, ressalta.

O investimento previsto em soluções de Digital Health em 2018/2019 representa um crescimento de 380% quando comparado aos últimos dois anos. Áreas como Infraestrutura de TI, Software e Tecnologia de Gestão, Prontuário Eletrônico, Suporte à Decisão Clínica e Serviços online para paciente estão sendo priorizados.


Para mais informações sobre o Nipo-Brasileiro, acesse: www.hospitalnipo.org.br


Reportagem publicada na Revista Medicina S/A, edição 1. Acesse a publicação.