Setor Farmacêutico Halal deve atingir US$ 134 bilhões até 2024

De acordo com dados divulgados esse ano pelo Sindusfarma, as exportações da indústria farmacêutica resultaram em US$ 1,183 bilhão em 2019. Embora, a presença de produtos farmacêuticos no exterior ainda seja pequena, quando comparada com outros players, como Alemanha, China e Estados Unidos, há muitas indústrias em pleno processo de internacionalização.

Um dos setores que tem apresentado bom crescimento é o halal. Para se ter uma ideia do tamanho deste mercado, de acordo com os últimos dados divulgados pela Dinar Standard e pela Africa Islamic Economic Foundation, o setor farmacêutico halal deve chegar a um faturamento de aproximadamente US$ 134 bilhões em todo o mundo até 2024. Segundo relatório da Pew Research Center, em 2050, a população muçulmana em todo o mundo deverá atingir 2,76 bilhões, ou seja, 29,7% da população mundial. Atualmente, a comunidade muçulmana é de 1,8 bilhão.

“É importante que o governo apresente uma agenda positiva, reveja as tarifas de exportação, para que as indústrias invistam fortemente em pesquisas e desenvolvimento de novos medicamentos e apresentem tecnologias mais avançadas e efetivas para a saúde da população mundial”, comenta Ali Saifi, CEO da certificadora Cdial Halal.

De acordo com o executivo, as exigências de importação de produtos, principalmente, pelos países árabes estão aumentando, mas por outro lado, as empresas brasileiras, que estiverem preparadas para atender a este mercado, em poucos anos, terão alta rentabilidade. “A certificação halal garante todo este processo e muitos países estão aderindo a esta ideologia por ser uma certificação que fiscaliza não só o produto em si, mas toda a cadeia de produção, desde a matéria-prima, processo de fabricação e armazenagem de acordo com as leis islâmicas”, explica Saifi.

A certificação halal é baseada em princípios religiosos muçulmanos. Neste caso, não somente os produtos em si, mas todos os processos de produção, armazenamento, manuseio, rotulagem, embalagem, transporte (terrestre, marítimo ou aéreo) e entrega serão analisados.