Curso gratuito capacita médicos em como dar más notícias

A mortalidade elevada em UTIs, o grande número de notícias de óbito e de piora dos pacientes levam profissionais de saúde de todo o Brasil a buscarem ajuda para uma habilidade aparentemente simples, mas quase não ensinada nas faculdades de Medicina: a comunicação. O fato é que em saúde a comunicação não é tão simples e muitas vezes é negligenciada. Já não é novidade um familiar ou paciente reclamar da forma como os médicos se dirigem a eles.

De acordo com o geriatra Douglas Crispim, um dos autores e responsável pela iniciativa, ainda existem muitos profissionais que preferem falar mais do que ouvir e não se conectam de verdade com aqueles que estão sendo cuidados. “Ao disponibilizarmos os protocolos, imediatamente instituições e profissionais de todo o Brasil começaram a se manifestar em busca de mais orientações. Muitas instituições implementaram os protocolos de visitas virtuais e boletins on-line, e compartilharam suas experiências”, relata o especialista.

Pensando nisso, o IBCS (Instituto Brasileiro de Comunicação em Saúde) criou o curso “Comunicando Melhor na Crise”, que inclui seis aulas com especialistas de diferentes áreas da saúde, somando 6 horas de conteúdo, que estarão disponíveis para visualização até o dia 30 de novembro de 2020, além de um webinar com transmissão ao vivo. O foco é orientar os profissionais de saúde sobre como melhorar a comunicação em cenários adversos com pacientes, familiares e entre os próprios colegas de trabalho.

Para Crispim, a grande procura pode ser um sinal de que as instituições e profissionais estão buscando adequar-se a novas demandas. “Há sinais de um futuro em que o valor em saúde será pautado na satisfação dos clientes e pacientes, porém resta saber se este legado permanecerá após a pandemia.”


Serviço:

Saiba mais sobre o curso: https://www.youtube.com/watch?v=SBFflH_mGb4

Inscrições: https://ibcsinc.eadbox.com

Mais informações: https://www.ibcsinc.org/comunicando-melhor-na-crise