Segundo Fehosp, ocupação de leitos de UTI cresce em SP

Levantamento da Fehosp (Federação das Santas Casas e Hospitais Beneficentes do Estado de São Paulo) aponta que a taxa de ocupação de leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) para a Covid-19 no território paulista é de 89%, sendo 52% em instituições filantrópicas.

As Santas Casas de Ourinhos e Araraquara já atingiram 100% de ocupação, assim com a de Presidente Venceslau, que estuda a estrutura física para aumentar mais seis leitos de enfermaria.

Em Catanduva, no Hospital Emílio Carlos (Fundação Padre Albino), 86,6% dos leitos de UTI estão ocupados e há 45,4% de ocupação em enfermaria.

Capital, São Bernardo do Campo, Campinas e Sorocaba estão com ocupação de mais de 80%. Em algumas regiões do interior, o índice está entre 60% e 70%.

“É de extrema preocupação a velocidade dos casos e de ocupação dos leitos. Nossas instituições filantrópicas estão à disposição do Ministério da Saúde para a ampliação do atendimento e, para isso, aguardamos a habilitação de novos leitos de UTI para que possamos receber os pacientes”, fala o diretor-presidente da Fehosp, Edson Rogatti.