Hospital Sobrapar realiza campanha para ampliar número de cirurgias

Leonardo Cordeiro, 9 anos, em tratamento no Sobrapar. Nasceu com Síndrome de Apert e com sindactilia

“Há 40 anos o Hospital Sobrapar transforma vidas”. Esse é o tema da campanha 2019 do Hospital Sobrapar Crânio e Face para arrecadação dos recursos necessários à redução da fila de espera por cirurgias de média e alta complexidade. Até o final do ano, a instituição realizará ampla campanha na mídia para doação de recursos por meio de seu site, na expectativa de atender a demanda crescente de pacientes – a maioria crianças e adolescentes – que necessitam de cirurgias intracranianas.

O Hospital Sobrapar é referência no tratamento multidisciplinar de anomalias craniofaciais, entre elas, a fissura lábio palatina, que afeta 1 a cada 650 bebês nascidos vivos, cujo tratamento completo leva 18 anos; e craniossinostoses de origem genética, como as Síndromes de Apert, Crouzon e Pfeifer, mais frequentes. Os pacientes são atendidos pelo SUS e hoje há uma fila com pelo menos 207 pacientes à espera de cirurgia no hospital. No ano passado, o Sobrapar realizou 1,2 mil cirurgias e 39.182 atendimentos.

A presidente da instituição, Vera Raposo do Amaral, explica que, atualmente, os desafios se ampliam. Os recursos para manutenção do hospital são provenientes do SUS (Sistema Único de Saúde) que responde por, aproximadamente, 40% do orçamento e os outros 60% são compostos por parcerias com fundações e doações de pessoas físicas e jurídicas, além do Bazar permanente de usados. “Os custos das médias e grandes cirurgias são elevados e o montante repassado pelo SUS não cobre as despesas necessárias. É fundamental a ajuda de doadores para que o hospital consiga atender a demanda de pacientes na fila de espera. Queremos sensibilizar a população com essa campanha emocionante desenvolvida por nossos parceiros”, diz.

A missão do Hospital Sobrapar é reabilitar desde bebês até idosos carentes com deformidades craniofaciais congênitas ou adquiridas, integrando-as à sociedade e promovendo o bem-estar desses pacientes por meio de uma atuação interdisciplinar de qualidade, ética e humanizada, e investindo em atividades de ensino e pesquisa. Desde a fundação em 1979, a instituição – idealizada e implantada pelo cirurgião plástico Cassio Menezes Raposo do Amaral – tem como foco o paciente, oferecendo o melhor tratamento disponível, atendendo 100% pelo SUS.

O atendimento à pessoa com deformidade de crânio e de face é realizado por uma equipe composta de: cirurgiões plásticos, fonoaudiólogos, otorrinolaringologistas, psicólogos, psicopedagogos, assistentes sociais, ortodontistas, neurocirurgião, ortopedista, fisioterapeutas, geneticistas, anestesistas, intensivistas e enfermeiras.


Conheça a campanha e formas de doação no site.