WeCancer e Instituto Vencer o Câncer lançam perfil de “mamógrafo no Tinder”

Para chamar atenção da sociedade sobre a importância da prevenção contra o câncer de mama, a plataforma WeCancer e o Instituto Vencer o Câncer (IVOC) prepararam ações inéditas para o Outubro Rosa. Entre elas estão a criação do perfil de um mamógrafo na rede social de relacionamento Tinder e parcerias exclusivas com marcas que produzem conteúdo de valor para falar sobre o abandono masculino em relação a mulheres que estão enfrentando a doença.

O câncer é um dos principais responsáveis pela morte de mulheres no Brasil atualmente. Segundo o Instituto Nacional de Câncer (Inca), foram 17.572 óbitos em 2018. Para este ano, são estimados 66.280 novos casos da doença no país. Na plataforma da WeCancer, fica evidente como o câncer de mama é um tema de destaque: dos 1,2 mil usuários cadastrados, 50% são mulheres que enfrentam essa luta.

“O Outubro Rosa é uma data importante para chamar atenção de que podemos mudar esses números. Quando é feito o diagnóstico precoce do câncer de mama, a pessoa tem grandes chances de se recuperar e viver bem. Mas, quando é tardiamente, as chances são muito reduzidas e sonhos são deixados para trás. E isso é algo super triste, porque poderia ser uma morte evitada se exames fossem realizados periodicamente e é por isso que a população precisa se conscientizar”, afirma o CEO da WeCancer, César Filho.

Como funciona

Para falar sobre o assunto com um grande número de pessoas, a WeCancer e o IVOC organizaram diferentes ações nas mídias sociais. A primeira delas é a criação do perfil do mamógrafo no Tinder. O objetivo está em lembrar da importância do encontro anual, ou na linguagem da Internet, o date com o exame de mamografia para mulheres acima de 30 anos com casos de câncer na família ou 40 anos quando não há histórico.

No momento em que acontecer o match entre a mulher e o mamógrafo, os profissionais de saúde do time da WeCancer entrarão em contato via chat para trazer informações relevantes e conscientizar sobre o assunto. Além desta iniciativa, acontecerão parcerias com marcas relevantes nas mídias sociais e no mercado brasileiro onde serão trabalhadas outras verticais de conteúdo – principalmente sobre o abandono masculino.

“Quando vi a notícia de que 70% das mulheres com câncer de mama são abandonadas pelos seus companheiros, senti a necessidade de fazer algo por isso. Minha mãe teve câncer e acabou falecendo, mas eu vi todo o suporte que o meu pai ofereceu à ela naquele momento. Não podemos deixar prevalecer o retrato do machismo brasileiro e a falta de empatia masculina, por isso, os meus sócios, equipe e eu decidimos que era hora de bater forte neste assunto que, muitas vezes, é ignorado”, finaliza o CEO.