Incorporação de tecnologia no atendimento do pronto-socorro

Por Thales Araújo de Oliveira

Prontos-socorros são conhecidos como locais de grande aglomeração e considerados ambientes de risco para transmissão de doenças infecciosas. O menor tempo de permanência possível nesse ambiente é uma demanda histórica, que se potencializou com a pandemia.

Ações com foco na redução do tempo de espera por atendimento são rotina nos serviços de urgência. Exemplo bem sucedido para casos suspeitos de infecção urinária envolve a coleta de amostra para exames já no pré-atendimento. Porém, poucas oportunidades existem com foco na redução de períodos de espera após a conduta médica.

Entretanto, no Sabará Hospital Infantil, a incorporação de tecnologias no ambiente hospitalar, incluindo a Telemedicina, tem possibilitado a adoção de medidas que concorrem positivamente para diminuir o tempo de permanência de pacientes e familiares no pronto-socorro seguido da consulta pediátrica.

De fato, a Telemedicina vem se firmando com uma das principais ferramentas tecnológicas usadas pelos serviços de saúde em geral, especialmente durante a pandemia do novo coronavírus, cujo enfrentamento exige adoção de medidas de distanciamento social.

Uma de suas aplicações diz respeito à possibilidade de liberação de pacientes em bom estado geral para cuidados em domicílio após a coleta de exame de Urina. Trata-se do Follow-up via Telemedicina, que permite a conclusão diagnóstica, com apresentação ao paciente do resultado do exame de urina coletado e prescrição de receita de tratamento (inclusive de medicamento antibiótico, quando aplicável) após a alta hospitalar, tudo isso de maneira remota.

Como resultado, no Sabará Hospital Infantil, crianças que procuraram o serviço de urgência do Hospital, realizaram exame de urina e tiveram a conclusão do seu atendimento via Telemedicina possuem o Tempo Médio de Permanência (TMP) no Hospital reduzido em mais da metade quando comparado aos TMP dos pacientes que aguardaram o resultado de exame de urina no Hospital após consulta com o pediatra. Em nossa avaliação, o TMP do grupo da Telemedicina foi de 47min, enquanto o segundo grupo possui um TMP de 157min.

Como se nota, ao incorporar a tecnologia no atendimento do Pronto-Socorro através do fluxo de follow-up via Telemedicina foi possível diminuir em até 72% o TMP dessas famílias no Hospital, o que contribui positivamente para evitar aglomerações no serviço médico e diminuir o tempo de exposição das famílias ao ambiente hospitalar, aspectos especialmente relevantes sobretudo no contexto da pandemia do Covid-19.


*Thales Araújo de Oliveira é Supervisor do Pronto-Socorro do Sabará Hospital Infantil.