Santa Casa de Porto Alegre desenvolve pesquisa inédita em DPOC

A Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre e a miha vem desenvolvendo, desde o primeiro semestre de 2022, uma pesquisa inédita no Brasil cujo foco é investigar a segurança e os efeitos da eletroestimulação de corpo inteiro em pacientes com doença respiratória crônica, como doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) e fibrose pulmonar.

Segundo o professor Rodrigo Plentz, que coordena os estudos e o Serviço de Reabilitação do complexo hospitalar, tanto ele quanto o grupo de pesquisa desenvolvem estudos com estimulação elétrica há décadas, buscando melhora nos desfechos clínicos e funcionais de diferentes populações, incluindo pacientes com doenças respiratórias crônicas. Aliado ao fato de haver poucas evidências científicas dos efeitos dessas terapias nessa população, surgiu a ideia de se testar o uso de eletroestimulação de corpo inteiro em relação a segurança e os possíveis benefícios dessa intervenção. “A tecnologia e os resultados obtidos até agora nos permitem ficar muito otimistas em relação ao futuro no tratamento desses pacientes, as experiências vividas e relatadas são muito positivas”, destaca Plentz.

O profissional ainda explica que, durante o desenvolvimento da fase 1 do estudo, que começou em 2022 e seguiu por 2023, os pacientes utilizaram o equipamento da miha em dois momentos e com uma semana de intervalo entre eles. O protocolo 1 teve duração de oito minutos, com 32 contrações/minuto e o protocolo 2, com duração de 16 minutos, resultou em 64 contrações/minuto. Em ambos, houve prática de exercícios com foco em bíceps, tríceps e abdominal, e antes, durante e durante as sessões, foi feito acompanhamento médico e medição de taxas, como de sangue, creatina quinase (CK) e frequência cardíaca.

Plentz explica que ao final da fase 1 do estudo, foi observado que os protocolos de EECI realizados foram seguros para pacientes com doenças respiratórias crônicas, no entanto devido às características da doença de base, a estruturação de protocolos para pacientes com DPOC e fibrose pulmonar devem ser individualizadas.

Continuação da pesquisa e investimento em conhecimento

O Serviço de Reabilitação da Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre também iniciou a segunda fase dos estudos, cujo foco é em pacientes em reabilitação pulmonar. Para ela, foi desenvolvido um novo protocolo, com total de dois meses de tratamento e sessões de eletroestimulação de corpo inteiro sendo feitas duas vezes por semana. Nas primeiras cinco delas, o treino dura 16 minutos, e nos últimas três, 20 minutos, com contrações que variam entre 64 e 120. Nessa fase do estudo, os pacientes têm sido submetidos a exercícios com foco em bíceps, tríceps, agachamentos, abdominais e extensores de coluna, subida e descida de degraus, além do uso de bicicleta e esteira ergométrica.

Para Plentz, a utilização de novas tecnologias no campo acadêmico e prático, como é feito na Santa Casa, referência no país, propicia o desenvolvimento de habilidades, conhecimento e experiência a pesquisadores, fisioterapeutas, alunos de pós-graduação e graduação. Já para a miha, tecnologia pioneira no mundo em eletroestimulação de corpo inteiro, o uso do equipamento para pesquisas médicas vai de encontro aos valores da empresa de estimular estudos e publicação de resultados científicos que chancelem a segurança e eficácia do método.

Textos relacionados

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.

Importante: A Medicina S/A usa cookies para personalizar conteúdo e anúncios, para melhorar sua experiência em nosso site. Ao continuar, você aceitará o uso. Veja nossa Política de Privacidade.