Santa Casa BH inaugura serviço para Retinoblastoma

No ano em que completa 120 anos, a Santa Casa BH comemora mais uma vitória no tratamento das crianças com câncer em Minas Gerais. No dia 22 de abril, será oficializada a implantação do Serviço de Diagnóstico e Tratamento do Retinoblastoma (único na capital mineira), que marca também o início das atividades do Instituto de Oncologia. Até então, as crianças diagnosticadas com retinoblastoma – o câncer intraocular mais comum na infância – eram encaminhadas para tratamento em São Paulo. Com o novo serviço, os pacientes receberão atendimento integral pelo SUS em Belo Horizonte. Os agendamentos via convênio ou particular poderão ser realizados no Hospital São Lucas – unidade de saúde do Grupo Santa Casa BH.

Para funcionamento do serviço, foi fundamental a aquisição do RetCam – adquirido com recursos próprios da Santa Casa BH e com verba doada pela ONG Marchadores pela Vida e ARD Foundation. Trata-se de um moderno e avançado sistema de mapeamento e avaliação da retina baseado em imagens fotográficas digitais de alta resolução, que permite diagnósticos precisos das mais diversas patologias oculares. A câmera de alta resolução do RetCam captura as imagens e as amplia em um monitor, onde é possível ajustar o brilho, contraste e equilíbrio de cores, permitindo o diagnóstico oftalmológico e acompanhamento das lesões.

De acordo com a oncologista ocular, Dra. Rafaela Caixeta, o retinoblastoma é a principal causa de remoção do globo ocular em crianças. “É um câncer com altos índices de cura, desde que diagnosticado precocemente e adequadamente tratado. A chegada do RetCam é uma grande vitória. Agradecemos a todos que colaboraram para que isso fosse possível, em especial à família Marchadores pela Vida”, ressalta.

Para o oncologista pediátrico, Dr. Joaquim Caetano Aguirre Neto, cerca de 80% dos casos da doença são diagnosticados antes dos 4 anos. “O sinal mais comum é a leucocoria ou reflexo pupilar branco [olho de gato], seguido do estrabismo. Outras formas de apresentação menos frequentes são inflamação, irritação ocular, glaucoma, massa em órbita e proptose. Em casos avançados, podem ocorrer sintomas de comprometimento do sistema nervoso central [cefaleia e vômitos] e da medula óssea [dor óssea]. A detecção do primeiro sinal é percebida, na maioria dos casos, por um familiar da criança ou pelo pediatra. Diante de qualquer suspeita, é imprescindível encaminhá-las para um serviço de referência”, explica.

A Santa Casa BH já está em contato com a Secretaria Municipal de Saúde de Belo Horizonte e a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais para oferecer o serviço especializado e, com isso, ampliar o número de crianças atendidas.