69% das seringas compradas pelo Brasil vêm da China

A Descartes, empresa de logística e supply chain management, acaba de lançar relatório que traz uma análise sobre a demanda e oferta interna de seringas para aplicação da vacina contra o vírus da Covid-19. O levantamento reúne detalhes sobre os pedidos de seringas realizados pelo Brasil de janeiro de 2019 a novembro de 2020, como informações sobre o país de origem, importador e marca dos produtos que serão utilizados pelas entidades de saúde para imunizar a população. Até novembro, foram adquiridas aproximadamente 2,6 bilhões de seringas.

Segundo o relatório, a China é o país responsável pela produção do maior volume deste insumo comprado pelo Brasil, respondendo a 69,23% do total.

A República da Coreia do Sul vem em segundo lugar, com 12,99%; em seguida estão os Estados Unidos, com 8,19% do total adquirido, seguido pelo Paraguai, que exportou para o Brasil 4,68%. Outros países aparecem na lista de exportadores, como Japão (2,42%) e Irlanda (1,78%).