França inaugurará polo digital de inovação em eHealth

A Sanofi, Capgemini, Generali e Orange anunciaram planos para a criação de uma joint venture na França para acelerar o desenvolvimento de soluções concretas de saúde e colocá-las à disposição do mercado para o benefício dos pacientes. O projeto, em uma escala única na Europa, reunirá os principais conhecimentos científicos e tecnológicos da França e da Europa. Irá se beneficiar de uma plataforma virtual e de uma base física localizada em Paris, ligada à iniciativa «PariSanté Campus», anunciada pelo Presidente da França, e reforçará o posicionamento internacional da França em saúde digital.

Os sócios fundadores preveem um investimento inicial de 24 milhões de euros na nova entidade, que estará operacional a partir de junho de 2021 para a plataforma virtual e dezembro de 2021 (datas sujeitas à obtenção das autorizações necessárias) na plataforma física.

A inovação digital e os dados tornaram-se essenciais na área da saúde. A França e, de forma mais ampla, a Europa possuem os ativos necessários para que as grandes empresas capitalizem a inovação e a agilidade das startups para desenvolver conjuntamente soluções digitais que agreguem valor aos pacientes e ao ecossistema da saúde. O trabalho se concentrará em temas principais por 1 ou 2 anos de cada vez e podem girar em torno de uma tecnologia, uma patologia, uma população de pacientes ou estar relacionado a um tópico de saúde pública. O novo ecossistema, reunirá as quatro empresas fundadoras e visa federar grandes empresas e startups a nível europeu, em torno de uma abordagem de inovação aberta, propícia ao surgimento de novos modelos disruptivos.

A singularidade deste projeto é baseada em três pilares:

  • as empresas fundadoras compartilharão em pool as suas tecnologias, conhecimentos e dados com startups selecionadas, em conformidade com os regulamentos e dentro de uma estrutura ética e responsável, para apoiar a implementação de soluções digitais que melhoram a qualidade, segurança, acessibilidade e produtividade da saúde;
  • a natureza multidisciplinar do ecossistema será incorporada pelas companhias fundadoras, as empresas parceiras e cerca de uma centena de startups francesas e europeias, bem como outros atores nos setores de saúde, tecnologia e seguros, hospitais públicos e privados, associações de pacientes, reguladores, escolas e universidades;
  • o desenvolvimento de soluções concretas para construir os serviços de saúde de amanhã, desde a ideia inicial até torná-los disponíveis para pacientes e/ou profissionais de saúde. A força desta aliança está baseada no fato de que todo o ecossistema estará simultaneamente focado no mesmo compromisso, o que limitará a dispersão de energia e aumentará as chances de sucesso e a criação de valor para os pacientes e todo o setor.

“Acreditamos que a França, e mais amplamente a Europa, têm todos os ativos necessários para estar entre os principais players globais em inovação digital em saúde. Este projeto é a pedra angular do ecossistema aberto centrado em tecnologia digital e dados de saúde que queremos construir com nossos parceiros. Nossa ambição comum é reunir todos os participantes, incluindo startups, que irão inventar coletivamente o futuro da saúde para o benefício dos pacientes e, assim, colocar a França no centro da inovação europeia neste campo estratégico”, explicou Paul Hudson, CEO da Sanofi.

“Como líder global em tecnologia digital, uma das nossas principais responsabilidades para as gerações futuras é colocar a tecnologia a serviço da saúde. Isso agora é uma prioridade para a Capgemini, que se orgulha de participar deste belo projeto. Todos os membros fundadores acreditam que a tecnologia digital proporcionará um tremendo impulso; temos a ambição de alcançar resultados concretos rapidamente”, disse Aiman ​​Ezzat, CEO do Capgemini Group.

“Por meio dessa aliança, nossa motivação como seguradora e provedora de assistência é participar de um ecossistema inovador e poderoso que ajudará a modelar as soluções de saúde do futuro e a trabalhar em novas tecnologias e serviços inovadores para os pacientes. O negócio de seguros funciona com base em estatísticas extraídas de um grande volume de dados anônimos que remontam a várias décadas. Isso pode ser disponibilizado para startups para alimentar sua busca por soluções. Como um ator histórico no mercado de saúde, nacional e internacionalmente, a Generali deseja contribuir ativamente para a criação e gestão deste ecossistema único na França e na Europa, em colaboração com outras empresas internacionais líderes em seu setor”, disse Jean-Laurent Granier, CEO da Generali França e presidente da Europ Assistance.

“Temos o prazer de nos envolver nesta ambiciosa parceria que visa aproveitar a tecnologia digital para melhorar os serviços de saúde para todos. Na Orange, estamos convencidos de que a transformação digital é uma importante fonte de progresso e que o potencial da e-health é imenso. Este é um grande desafio para a sociedade e, como operadora responsável, acreditamos que podemos contribuir para esse esforço. Ao criar um ecossistema multidisciplinar que reúne grandes grupos e startups europeus, estamos provendo os meios para que nós possamos acelerar o desenvolvimento de soluções para o benefício de pacientes e cuidadores”, disse Stéphane Richard, Presidente e CEO da Orange.

Uma plataforma digital para estimular a inovação no ecossistema digital de saúde

Este projeto será alojado numa plataforma online centrada em torno de um Instituto cuja principal missão será reunir especialistas, instituições, escolas, universidades e hospitais em torno de questões relativas à utilização de dados e ferramentas digitais no setor da saúde. A plataforma também será o ponto de entrada para interações entre fundadores, parceiros e startups para lançar hackathons, iniciar competições e compartilhar dados e experiência em conformidade com regulamentos e padrões éticos.

Um lugar único na Europa, localizado em Paris

O ecossistema estará localizado no coração de Paris e incluirá um laboratório criativo, um Fab Lab, um Data Lab e um Living Lab, nos quais pacientes e profissionais de saúde serão capazes de desenvolver, testar, ajustar e avaliar soluções. Além disso, um laboratório específico também será dedicado a questões éticas e econômicas. E será sinérgico com o Campus PariSanté, que visa estruturar e federar um setor digital de saúde internacional, aberto a parcerias nacionais e internacionais.