Benefícios da retirada de sonda 24 horas após cirurgia de câncer de próstata

Os resultados de um estudo do Núcleo de Medicina Robótica do Hospital Moinhos de Vento são animadores no que se refere à recuperação de pacientes com câncer de próstata. Após a cirurgia para a retirada do tumor, é deixada rotineiramente uma sonda no pênis do paciente pelo período de sete a dez dias. Com o protocolo da pesquisa, o tubo pode ser retirado em 24 horas após o procedimento, ainda no hospital. Assim, de forma inédita, é possível ir para casa sem a sonda vesical.

De acordo com o chefe do Núcleo de Medicina Robótica e autor do estudo, André Berger, a nova metodologia diminui possibilidades de infecção, além de permitir a volta mais cedo do paciente às suas atividades habituais. A pesquisa descrevendo o novo protocolo e resultados foi publicada no British Journal of Urology, um dos mais importantes da especialidade médica. “O uso das mais modernas tecnologias aliado à experiência do time cirúrgico e a implementação de protocolos para otimizar a recuperação impactam positivamente nos desfechos oncológicos e funcionais auxiliando na manutenção da qualidade de vida” afirma o médico, destacando que a estratégia inovadora resolve algumas das maiores queixas dos pacientes.

Além disso, o trabalho revela dados significativos de controle oncológico: a porcentagem de margens livres, ou seja, a retirada completa do câncer, foi de 86%. A taxa de controle de urina e ereções após a cirurgia ficaram em 95% e 81%, respectivamente, num período de 3 meses, sendo que a maioria teve retorno funcional extremamente precoce.

A pesquisa também envolveu a Universidade do Sul da Califórnia, a Universidade Federal do Rio Grande do Sul e o Hospital de Clínicas de Porto Alegre.

Medicina de Precisão e melhores desfechos

Para o superintendente médico do Hospital Moinhos de Vento, Luiz Antonio Nasi, os resultados são fruto do investimento da instituição em Medicina de Precisão. “Hoje temos o maior programa de cirurgia robótica urológica da região sul, com um dos maiores volumes de procedimentos para o tratamento do câncer de próstata com essa tecnologia. Com mais precisão nesse tipo de procedimento, aliando a expertise da equipe médica às melhores práticas e ao que há de mais avançado que a medicina de ponta nos oferece, nossos pacientes poderão ter os melhores desfechos, com um pós operatório com menos dor, com recuperação mais rápida e melhor qualidade de vida”, conclui Nasi.