Só 7% dos brasileiros com dificuldades para dormir procuram ajuda médica

A Pesquisa Mapa do Sono dos Brasileiros, encomendada pela biofarmacêutica Takeda e realizada pelo Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística (Ibope), revela que 65% dos brasileiros têm baixa qualidade de sono, mas apenas 7% procuram ajuda médica quando apresentam dificuldades para dormir. Apesar de 34% dos entrevistados afirmarem ter insônia, apenas 21% desses declararam possuir diagnóstico da doença, o que confirma essa tendência. O estudo realizou 2.635 entrevistas no Brasil, com homens e mulheres, maiores de 18 anos, das classes A,B e C.

Entre os respondentes que enfrentam problema para dormir e/ou têm insônia, a visita ao médico figura apenas como a 9ª ação mais buscada para solucionar a situação, somente à frente de parar de beber ou fumar e reduzir medicações. As medidas mais citadas foram: tentar dormir e acordar no mesmo horário, dormir mais cedo e ter uma alimentação mais leve/saudável.

De acordo com Luciano Drager, vice-presidente da Associação Brasileira de Medicina do Sono, muitos fatores podem justificar esse dado, como o difícil acesso aos tratamentos e profissionais de saúde, por exemplo. No entanto, o levantamento mostra que, apesar de 83% dos brasileiros reconhecerem que a insônia é uma doença, 77% desses acreditam que o distúrbio é consequência de outras enfermidades, ou seja, desconhecem insônia como doença específica que precisa de tratamento. O que revela que a desinformação e a falta de conhecimento podem estar entre os principais aspectos que impedem os pacientes de buscar ajuda médica.