OTAWA Health desenvolve solução baseada em IA para detectar Covid

Uma aplicação prática de Inteligência Artificial capaz de analisar radiografias de pulmão e detectar padrões visuais de Covid-19, agilizando assim a triagem de pacientes: este é o resultado das pesquisas e testes desenvolvidos pela OTAWA Health, cujo projeto foi um dos selecionados pelo IdeiaGov, hub de inovação que traz soluções de mercado e da sociedade para enfrentar os desafios do Governo do Estado de São Paulo.

O projeto-piloto está em andamento no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Conforme explica Paulo Gusmão, Cofundador e CEO da OTAWA Health, a solução recebe automaticamente, em um servidor PACS na nuvem, as imagens radiológicas enviadas pelos equipamentos de raio-X do Hospital das Clínicas e dos hospitais parceiros. Depois disso, a rede neural criada pela OTAWA Health , determina quais são as radiografias de tórax, realiza a análise das imagens e as classifica com Sim ou Não de acordo com a presença de alterações radiológicas sugestivas para covid-19. Atualmente, a rede neural apresenta um AUC 0,93 com 90,0% de sensibilidade e 85,6% de especificidade, e um tempo médio de resposta ao redor de 15 segundos.

“O principal impacto deste projeto é a definição de um processo de triagem de pacientes com sintomas da doença nas emergências dos hospitais, com grande probabilidade de acerto, utilizando para isso apenas aparelhos de raio-X já existentes na grande maioria dos hospitais, clínicas e postos de atendimento espalhados pelo Brasil e pelo mundo”, diz Paulo Gusmão.

Além do servidor PACS (Picture Archiving and Communication System, em português, Sistema de Comunicação e Arquivamento de Imagens) na nuvem pronto para receber as imagens enviadas pelos hospitais, a OTAWA Health também desenvolveu um aplicativo móvel que permite aos médicos tirar fotos das radiografias de tórax e enviar para a análise pela rede neural com um simples toque na tela. Apesar deste aplicativo não estar fazendo parte do projeto-piloto, para o executivo, o aplicativo móvel tem grande utilidade para médicos que estejam atuando em áreas com baixos recursos, com equipamentos de raios-X mais antigos e sem conexão à internet, e carentes de médicos radiologistas trazendo benefícios significativos para a saúde da população. “Nossa plataforma de IA já possui interface em Português, Inglês e Espanhol, pois os problemas que existem aqui também existem em diversos outros países em desenvolvimento. Além de salvar vidas, o sucesso deste projeto de IA implica em menos desgaste dos profissionais de saúde e seu consequente aproveitamento em outras atividades mais estratégicas”, afirma o executivo.

A expectativa é que, ao término do projeto-piloto, a solução possa efetivamente começar a ser utilizada por hospitais em todo o Brasil, uma vez que a pandemia continua presente e a segunda onda já acontece em diversos países.