Oswaldo Cruz lança programa de saúde mental voltado para colaboradores

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) 12% da população mundial necessita de cuidados em saúde mental. Entre estes, estão mais de 23 milhões são brasileiros. A OMS ainda aponta que a depressão será a doença mais incapacitante do mundo no próximo ano, e atinge 350 milhões de pessoas, sendo que 45% não tem um diagnóstico e, portanto, não recebem um tratamento adequado.

Por conta do número crescente de casos, o programa Saúde Integral do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, voltado para colaboradores e familiares da Instituição, passa a contar com atendimento exclusivo para transtornos mentais, com psicólogos, psiquiatras e médicos de família.

O Gerente Médico do Saúde Integral do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, Dr. Leonardo Piovesan, assinala um problema já identificado não só no Brasil, mas também no mundo, em que 40% dos profissionais da saúde sofrem de algum grau de depressão, ansiedade, estresse, síndrome de Burnout ou outros transtornos mentais. A iniciativa da Instituição espera mapear quais profissionais de quais setores estão dentro desses quadros de sofrimento.

“O Saúde Integral já contava com atendimento psicológico, mas diante dos números de casos crescendo no mundo todo, criamos um atendimento exclusivo para tratamento de doenças mentais, para assegurar que os colaboradores do Hospital tenham uma vida mais equilibrada e saudável. Partimos da mesma premissa do programa de saúde do colaborador, de que quem é bem cuidado cuida melhor. Por isso, também vamos atuar com iniciativas de acolhimento e prevenção”, complementa.

O especialista ressalta que empresas que contam com o Saúde Integral para seus colaboradores também passam a ter acesso aos médicos e psicólogos focados no atendimento de transtornos mentais.

Para implementar a assistência psiquiátrica, o Hospital firmou parceria com a empresa Gattaz Health&Results, liderada pelo Prof. Dr. Wagner Gattaz, do Instituto de Psiquiatria da Universidade de São Paulo, referência em doenças mentais, que irá prestar consultoria para a equipe multiprofissional do programa e de acolhimento para gestores. “Dentro de ambientes hospitalares, a doença mental é a segunda causa de afastamento do trabalho, ficando atrás apenas das osteomusculares, que correspondem a 80% dos casos. Porém, parte das queixas de dores musculares, como na coluna lombar e cervical são causadas por depressão, ansiedade e outras doenças de fundo psicológico e psiquiátrico”, comenta Dr. Gattaz.

Estudos do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP) apontam que na população de São Paulo, em um período de 12 meses, 11% das pessoas vão apresentar uma depressão, enquanto que 20% apresentarão um transtorno de ansiedade e 4% um abuso de álcool ou drogas.

Para desmistificar, sensibilizar e esclarecer sobre os sintomas e consequências das principais doenças, como o estresse, a ansiedade e a depressão, assim como dependência química e Burnout, os colaboradores recebem vídeos e outros informes pelo celular, intranet e e-mail.

Já para o diagnóstico, a cada seis meses, é enviado um questionário digital, validado cientificamente pela OMS, para todos os profissionais, por e-mail e SMS, e que tem por objetivo auxiliar na compreensão das doenças. Ao finalizar a pesquisa é possível já ter acesso ao diagnóstico e consequente encaminhamento para o tratamento.

“Esta fase de diagnóstico também permite visualizar as áreas com maior acometimento de doenças, criar um plano individual para cada colaborador ou familiar, além de trabalhar a gestão de estresse, comunicação e resiliência para líderes de cada setor da Instituição”, explica o Dr. Piovesan.

Para o tratamento, o programa conta com auxílio de psiquiatras e psicólogos, além de médico da família, amparado pela consultoria da Gattaz para a discussão de casos.

O atendimento pode contemplar ainda a atuação dos profissionais do Centro Avançado em Terapia de Suporte e Medicina Integrativa (CATSMI) do Hospital, que podem indicar aos colaboradores práticas como acupuntura, aromaterapia, cromoterapia e meditação focadas em saúde mental.

Saúde do colaborador

O programa de Saúde Mental está atrelado ao Saúde Integral do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, que conta ainda com a plataforma digital de Gestão de Saúde Populacional (GSP) desenvolvida pela própria Instituição. A iniciativa é focada na prevenção e no controle de riscos relacionados à saúde de seus colaboradores e de seus familiares. Os bons resultados obtidos no programa impulsionaram a oferta desta tecnologia para as empresas que desejam realizar o gerenciamento da saúde populacional de seus colaboradores com operações que abrangem assistência, tratamento, ensino e pesquisa em dezenas de especialidades médicas.