85% dos hospitais pretendem investir em TICS

Nos últimos anos, houve um aumento significativo no número de hospitais brasileiros que utili­zam tecnologias digitais. Em 2019, 85% das instituições pretendem investir em soluções de saúde digital. O resultado integra o estudo 50+ Inovadoras da Saúde, realizado pela revista Medicina S/A.

A publicação entrevistou CIOs e gerentes de Tecnologia de 250 hospitais privados do Brasil em relação à (1) intenção de investimento em TI em 2019/2020 e às (2) empresas, produtos, marcas e soluções mais lembrados pelos gestores por sua inovação em Tecnologias da Informação e Comunicação, Digital Health e Telemedicina.

Com base nas informações enviadas pelas instituições de saúde e na análise criteriosa e independente de um conselho editorial, foram destacadas as instituições mais inovadoras do país em critérios como: (1) soluções implantadas e em funcionamento; (2) disposição para investimentos em novas tecnologias; e (3) resultados para a Gestão e Assistência aos Pacientes.

Entre os hospitais pesquisados, a maior parte está localizada na região Sudeste (103), seguida pelas regiões Sul (56), Centro-Oeste (37), Nordeste (35) e Norte (19). Aproximadamente 2/3 das instituições que participaram da análise (62%) são de médio porte (até 150 leitos), ao passo que os hospitais de grande porte (38%) registraram uma média de 240 leitos. Em relação ao tipo de estabelecimento, 85% dos hospitais são gerais e 15% de especialidades.

*Todas as entrevistas foram quantitativas e realizadas de forma confidencial.


85% dos hospitais pretendem investir em TICS

Segundo estimativas da IDC Brasil, consultoria focada em Tecnologia da Informação e Telecomunicações, os investimentos em TIC devem crescer 4,9% em 2019 no Brasil, índice que reflete o otimismo do mercado para o ano. O maior crescimento – de 10,5% – será em TI, impulsionado por processos de transformação digital e por movimentos de substituição de tecnologias.

Panorama similar vem ocorrendo no mercado de saúde. A pesquisa 50+ Inovadores da Saúde, que entrevistou CIOs e gestores de Tecnologia de 250 hospitais brasileiros, mostrou que 85% desses hospitais, de médio e grande portes, pretendem investir em tecnologias digitais. Dos que não pretendem investir, 10% relataram estar em processo de implantação de tecnologias adotadas em anos anteriores e 5% não consideram o momento político-econômico ideal para investimentos.


PREVISÃO DE INVESTIMENTO EM TICs PARA 2019
85% pretendem investir em TICs, soluções de digital health ou telemedicina.
15% não pretendem investir ou não estão certos quanto ao momento

Os dados mostram também a relação entre o uso atual de tecnologias digitais e o planejamento de investimentos. No grupo dos hospitais que pretendem investir, 94% já utilizam alguma solução digital e 6% não dispõem de nenhuma das oito soluções tecnológicas listadas na pesquisa. Mais de 70% das instituições pretendem investir em mais de um tipo de tecnologia.

Objetivos De acordo com a análise, mais de 46% dos hospitais brasileiros que pretendem investir têm como principal objetivo a eficiência de processos e a segurança dos pacientes. 27% esperam melhorar a performance da gestão e os resultados financeiros/operacionais; 15% desejam se enquadrar nas normas e regulamentações que envolvem o setor e 12% buscam, exclusivamente, por inovações.


FOCO PARA IMPLANTAÇÃO DE NOVAS TECNOLOGIAS
46% Visam a Eficiência de processos e a segurança dos pacientes
27% Buscam Otimizar a gestão e resultados financeiros
15% Procuram adequar-se às questões regulatórias
12% Focam exclusivamente em inovação

Intenção de investimento por tecnologia

Entre os 85% dos hospitais que pretendem investir, 70% disseram que estão dispostos a investir em mais de um tipo de solução. Entre as principais prioridades de investimento, o Prontuário Eletrônico tem preferência entre os entrevistados. 68% disseram que pretendem aderir ou melhorar os registros eletrônicos de pacientes que já possuem; 61% pretendem instalar softwares ou tecnologias dedicadas à gestão; e 59% investirão em ferramentas de suporte à decisão clínica.


TECNOLOGIA INTENÇÃO DE INVESTIMENTO EM %
Acesso e uso das TICs pelos profissionais de Saúde 20%
Ferramentas de Suporte à Decisão Clínica  59%
Infraestrutura de TI 32%
Plataformas focadas em Prevenção  45%
Registro eletrônico do Paciente 68%
Segurança da Informação 40%
Serviços online oferecidos ao paciente 58%
Softwares e Tecnologias para Gestão  61%
*Nota: A soma dos percentuais supera 100% devido à possibilidade de múltiplas respostas

Dificuldades – Para 92% dos entrevistados, o processo de inovação dentro de uma instituição de saúde é sempre desafiador. Apenas 8% dos gestores de tecnologia acreditam que o processo é simples ou natural. Entre os principais obstáculos à incorporação de novas tecnologias, 34% dos entrevistados mencionam o custo; 27% destacam a implementação de uma nova cultura para clientes e funcionários; 25% acreditam que as constantes mudanças tecnológicas geram dificuldades com a integração de sistemas; e 14% revelam preocupação com a segurança digital e o uso seguro e adequado das novas tecnologias.


Fornecedores Quando questionados sobre o mercado fornecedor, 63% consideram as empresas de TICs no Brasil satisfatórias, contra os 26% que veem como deficientes em tecnologia ou suporte. Apenas 11% dos hospitais consideram a indústria fornecedora em digital health como muito eficiente. Na opinião dos CIOs, ainda há uma alta concentração das soluções em poucas empresas. Em relação às startups, 77% dos hospitais considerariam aderir ou participar de projetos de empresas com soluções inovadoras.


Telemedicina Questionados se uma possível regulamentação da Telemedicina no Brasil afetaria as decisões de investimentos para os próximos dois anos, 97% dos hospitais responderam afirmativamente. Entre as modalidades da telemedicina, 80% investiriam em Teleconsulta; 77% em Telediagnóstico; 48% em Teleinterconsulta/Teleconsultoria; 31% em Telemonitoramento; 26% em Teletriagem; e 14% em Telecirurgia. (*Nota: A soma dos percentuais supera 100% devido à possibilidade de múltiplas respostas).


Conheça os hospitais e empresas mais inovadoras citadas no estudo.

*A reprodução da pesquisa é livre mediante a citação da revista Medicina S/A.