Software de gestão aprimora fluxo de atendimento de pacientes SUS

No ano de 2020 o Sistema Único de Saúde (SUS) completou 30 anos de criação. Com um atendimento direcionado a cerca de 70% da população brasileira, segundo o Ministério da Saúde, aprimorar os fluxos internos para o atendimento aos pacientes necessita de um acompanhamento da evolução tecnológica. A gestão hospitalar é uma das vias para melhorar o atendimento. Com isso, desde 2019, o Hospital Universitário Cajuru (HUC), de Curitiba, passou a utilizar software de gestão que aprimora os fluxos de informação e traz segurança aos pacientes. Após um ano de uso, os benefícios representam eficiência e qualidade assistencial.

Assim como hospitais da rede privada de saúde, o HUC, que é um dos principais hospitais que atende 100% SUS na capital paranaense, passou a utilizar o sistema Tasy. A utilização para um hospital que atende a rede pública tem ganhos no compartilhamento de informações e serviços e na segurança para o paciente.

Conforme explica o gerente médico do HUC, José Augusto Ribas Fortes, a qualidade do atendimento é aprimorada para o público SUS com a adoção de um software de gestão hospitalar. Isso coloca o hospital em um patamar elevado de serviços. “O nível de atendimento, de integração das equipes hospitalares e a segurança na troca de informações é semelhante ao que podemos encontrar em hospitais particulares”, afirma.

Serviços mais precisos

O gestor de Tecnologia da Informação (TI) da área de Saúde do Grupo Marista, Laercio Loureiro, explica que, na prática, as equipes de saúde têm acesso, com mais agilidade, à evolução de quadro clínico, prontuário e prescrição de medicamentos para pacientes. “Conseguimos ter riqueza e profundidade de informações para os médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem, sempre com detalhamento sobre a situação de cada paciente. É diferente de uma situação de uso de prontuário manual, em que há mais possibilidade de dispersão de informações”, afirma.

Outro avanço verificado é na gestão financeira. Segundo o gerente médico do hospital, quando se trata de um hospital que atende pelo SUS, como é o HUC, ter essa gestão aprimorada é um ganho em responsabilidade social. “O controle financeiro e a aplicação de recursos tornam-se mais assertivos”, explica.

Esse cenário soma-se à agilidade em processos internos do hospital, como a alocação de materiais e salas para procedimentos, além do ganho que os profissionais de saúde têm na rotina de trabalho. “Todas as equipes de saúde têm um ambiente de troca de informações mais seguro e podem se manter atualizados nas práticas que estão mais avançadas no mercado de gestão”, conclui.