9 de Julho lança 2ª edição de Manual de Onco-Hematologia

O Hospital 9 de Julho (H9J) lança o “Manual de Onco-Hematologia: TMO e Práticas assistenciais Interdisciplinares”, uma parceria do Dr. Celso Massumoto, oncohematologista e coordenador da Unidade de Transplantes de Medula Óssea do H9J, Dra. Fernanda de O. Santos, hematologista e a equipe de saúde multidisciplinar formada por especialistas da instituição.

Segundo Dr. Alfonso Migliore, diretor Geral do H9J, o manual corrobora com a especialização da instituição em casos de alta complexidade como a onco-hematologia e reforça outros pontos importantes. “Somos o primeiro hospital privado do Brasil a receber a certificação internacional pela Joint Commission International (JCI) em TMO e iniciamos, em março, o programa de residência médica em Onco-Hematologia e em medicina Intensiva”.

Para o executivo, o objetivo é ser um hospital de referência no setor de onco-hematologia que inspire confiança pela excelência e alta performance no acolhimento às pessoas e na prestação de serviços à saúde.

Outros profissionais do H9J e de instituições renomadas como a Universidade Federal, Instituto do Câncer e a Universidade de São Paulo também participaram do projeto. O livro chega a sua segunda edição com o propósito de proporcionar apoio aos médicos mais experientes e oferecer conhecimento aos especialistas mais jovens.

Ala de Onco-Hematologia

As doenças onco-hematológicas são frequentes no Brasil. Por ano, são diagnosticados 11 mil novos casos de leucemia, 10 mil pacientes com linfoma de Hodgkin e 2.500 diagnósticos de linfoma não-Hodgkin.

Atualmente a instituição possui duas Unidades de Onco-Hematologia exclusivas e preparadas para oferecer o melhor tratamento aos pacientes oncológicos tanto adultos quanto pediátricos, que apresentam doenças relacionadas ao sangue ou órgãos hematopoiéticos, inclusive os que necessitam de TMO.

Com conceito inovador baseado nas boas práticas internacionais, as Unidades contam com sistema de tratamento de água inédito no País, garantindo a qualidade da água para o paciente com imunodeficiência. São 31 leitos com filtro de pressão positiva para remoção física de partículas para filtragem do ar, além de dois apartamentos para isolamento respiratório com pressão positiva e negativa.