Fundador da Genera recebe prêmio MIT Technology Review

O brasileiro Ricardo di Lazzaro Filho, médico formado pela Universidade de Medicina da USP, farmacêutico, aconselhador genético e sócio-fundador da Genera, laboratório brasileiro especializado em genômica pessoal, ficou na lista dos nomes premiados no “Inovadores com menos de 35 anos na América Latina 2020” , prêmio que consiste em recompensar os 35 jovens mais inovadores com menos de 35 anos de idade da América Latina promovido pelo MIT Technology Review , edição em espanhol da revista do Instituto de Tecnologia de Massachusetts.

O empresário aparece na categoria Empreendedores, em que os selecionados são reconhecidos pelos avanços tecnológicos que quebram o ‘status quo’ das indústrias e os que ajudam os pequenos produtores a fazer negócios de novas maneiras. O prêmio foi conquistado pelo trabalho executado à frente da Genera, oferecendo testes genéticos com foco em saúde e bem-estar pelo menor preço do mundo.

Fundada em 2010 por Ricardo e seu sócio, André Chinchio, a Genera atua com o foco em inovação e em 2014 trouxe ao país algo muito difundido na América do Norte e Europa, os testes de ancestralidade, saúde e bem-estar através do mapeamento genético por uma tecnologia chamada Microarray que lê aproximadamente 700 mil pontos do DNA de uma pessoa.

“A medicina está caminhando para o que chamamos de “medicina 4Ps”. Ou seja, ela está cada vez mais preditiva, preventiva, personalizada e participativa, uma vez que a indústria já percebeu que cada cliente é único, e está em busca de oferecer serviços e produtos cada vez mais personalizados e que poderão trazer resultados ainda melhores. Usar um mapeamento genético para auxiliar nessa customização e no desenvolvimento de produtos e serviços inovadores é algo que já é realidade em alguns países, e está começando a virar realidade aqui no Brasil também. Fazer parte desta transformação é algo muito significativo” afirma Ricardo.

Pelo teste de ancestralidade com o foco no DNA do brasileiro, o laboratório compara os dados genéticos de uma pessoa com indivíduos de diversas regiões do globo identificando detalhes de sua origem por pelo menos 5 gerações. Já os testes voltados à saúde e bem-estar incluem resultados como tendência a deficiências de vitaminas, fotoenvelhecimento, obesidade e alcoolismo, sensibilidade a cafeína, fome emocional, nível de impulsividade e quais dietas e exercícios físicos são mais adequados de acordo com a genética.

“Nosso principal objetivo é tornar os testes genéticos acessíveis à população, tanto do ponto de vista econômico quanto de produção de conteúdos e resultados compreensíveis para popularizar esse nicho, alcançando assim o maior número de pessoas e ajudá-las na trajetória do autoconhecimento”, conclui Ricardo.