Coronavírus: a saúde pede socorro e o médico pede apoio

Por Cláudia Navarro

Estamos passando por um momento sério e de risco iminente a toda a população brasileira. A pandemia do Covid-19 está tomando proporções alarmantes desde que chegou ao Brasil. O crescimento é exponencial e precisamos de atitudes emergenciais de controle.

Muito mais que pedir à população que se previna e siga as recomendações da OMS, precisamos dar atenção à saúde! E quando digo saúde, estou falando da saúde de quem está na linha de frente! Primeiro, é importante destacar que os hospitais precisam estar preparados, munidos de Equipamentos de Proteção Individual, os EPI’s, para toda a equipe.

Não é só máscara!

Em diversos casos, os profissionais precisam também de outros equipamentos de proteção. Os EPI’s são essenciais diante desse tipo de doença. Ao mesmo tempo, temos um importante desafio em nossas mãos. Temos que cumpri-lo e, se for necessário, nos adequar a essa situação extrema para garantir nossa segurança e a do paciente.

É extremamente importante que o médico e demais profissionais também saibam qual conduta seguir, o que vestir, como retirar adequadamente o EPI sem se contaminar, como descartar ou desinfetar esses materiais e como higienizar o ambiente. Para isso, treinamentos são essenciais! Não há tempo para agir sem orientação.

Diante desse cenário, precisamos cuidar dos nossos médicos.

O governo tem tomado atitudes importantíssimas, como o cadastramento emergencial de médicos para atender a população neste momento. Precisamos de mais médicos, sim, mas também precisamos de condições dignas de trabalho.

O Conselho Regional de Medicina de Minas Gerais está atuando para isso. Estamos auxiliando todos os médicos e cobrando das autoridades. O CRMMG tem se reunido exaustivamente com outras entidades médicas e com as secretarias de saúde para garantir trabalho digno e seguro aos médicos e demais profissionais de saúde. E tem recebido resposta positiva de todos.

Estamos falando de uma crise séria. Além de todo esse panorama, ainda temos que lidar com outros agentes infecciosos que demandam atenção no nosso país, como H1N1, Dengue e Sarampo. Os hospitais já estão lotados, o profissional está cansado e nós precisamos agir com rapidez.

O CRM disponibilizou, ainda, seus canais para atendimento e esclarecimento de possíveis dúvidas dos médicos. Este é um momento de estarmos todos juntos, em união, buscando soluções práticas e combatendo efetivamente a pandemia.

Precisamos cuidar dos nossos profissionais e garantir que estejam saudáveis pois, só assim, eles poderão honrar a missão da profissão: salvar vidas!


*Cláudia Navarro é presidente do CRMMG