5 motivos para a metodologia ativa no ensino em medicina

Por Caroline Rothmuller

Na metodologia ativa, o aluno é o principal agente e o maior responsável pelo seu processo de aprendizado. É um modelo de ensino que incentiva a comunidade acadêmica a desenvolver a capacidade de absorção de conteúdos de maneira autônoma e participativa. É uma forma de aproximar o aprendizado aos tempos contemporâneos, já que as novas gerações trazem novos comportamentos e estilos de vida que nem sempre combinam com a maneira de ensinar tradicional. No ensino da medicina esse cenário também é real e, com toda a revolução digital que a área da saúde, se torna ainda mais importante que os futuros médicos já sejam educados sob novos patamares.

Nesse artigo elenco 5 motivos pelos quais acredito ser a metodologia ativa a melhor alternativa para as universidades que formam médicos e demais profissionais do setor de saúde:

1. Nova geração com novas demandas

A internet revolucionou a maneira de existirmos enquanto sociedade. E a nova geração (Z) é o maior reflexo da evolução da conectividade. São pessoas que nasceram após o advento da Internet e, por isso, utilizam dispositivos o tempo todo. Podem estudar online, gostam de assistir a vídeos e a tutoriais, obter conhecimento geral sobre os assuntos e, após, centrar-se no que mais interessa. Por isso, a metodologia ativa funciona tão bem com esse público. O que mais querem é autonomia para gerenciar como acessar e apreender conhecimento.

2. Crescente avanço do conhecimento científico e tecnológico

O conhecimento avança de maneira vertiginosa. De acordo com Bernanrd Marr, escritor e consultor corporativo especializado em big data, o volume de dados criado nos últimos dois anos é maior do que a quantidade produzida em toda a história da humanidade. E isso afeta todos os setores, incluindo o conhecimento acadêmico e científico do setor de saúde. Portanto, novas formas de ensinar, que unem o conhecimento teórico com o prático, são muito importantes nas faculdades de medicina e outros cursos ligados à saúde. É preciso ser capaz de realizar curadoria de conteúdo e, também, pensamento crítico.

3. Mudança de mentalidade dos docentes

É importante que estejamos todos na mesma página. O mundo muda, a sociedade se transforma e, nesse momento, estamos no meio da grande transformação digital, que é aliada de todos os setores, incluindo a educação. Por isso, é fundamental que haja entendimento por parte de educadores que as metodologias ativas são o ponto de partida para avançar no aprofundamento da reflexão de que o envolvimento do aluno em seu aprendizado facilita o entendimento mais profundo e mais prático. Dessa maneira, a evolução chega também ao trabalho do professor. Por muitos anos as universidades ligadas ao mercado de saúde se tornaram fiéis ao modelo tradicional de ensinar importantes ofícios. Porém, é hora de inovar!

4. Formação mais completa do aluno

Estudantes de medicina e outras formações ligadas à saúde têm contato com uma grande quantidade de conteúdo. Ao desenvolver a capacidade de absorção desses materiais de maneira autônoma e participativa, a metodologia ativa colabora com a formação dos alunos em excelentes profissionais. Além disso, cria o hábito de se utilizar tecnologia para o aprofundamento do conhecimento. Dentro das universidades pode-se utilizar bibliotecas digitais, por exemplo. Nelas, além de ter à disposição os livros da grade curricular tradicional, o aluno pode acessar vídeos, exercícios, imagens e muitos outros conteúdos extras em formatos amigáveis.

5. Maior interesse do aluno uma vez que ele é o agente ativo da sala de aula

Conteúdos digitais levam ao maior interesse do aluno em sua formação. Por isso, a utilização da tecnologia no campo do ensino é a grande aliada da Metodologia Ativa, já que promove interesse e aproxima o aprendizado aos tempos contemporâneos, já que as novas gerações trazem novos comportamentos e estilos de vida que nem sempre combinam com a maneira de ensinar tradicional.


* Caroline Rothmuller é diretora de Education da Elsevier Brasil, responsável pela biblioteca digital e-volution.