Bradesco Saúde cria rede de atendimento com foco em pós-Covid

Mesmo um ano depois do início da pandemia, cientistas e profissionais de saúde de todo o mundo constataram que a Covid-19 está associada a mais de 50 manifestações de saúde. Foram identificados danos neurológicos, psicológicos, pulmonares, imunológicos, renais, cardíacos, motores, entre muitos outros. Pesquisadores de universidades dos Estados Unidos, do México e da Suécia, que analisaram dezenas de estudos sobre o tema com 48 mil pacientes ao todo, informam que os cinco sintomas mais comuns da Covid prolongada são fadiga (58%), dor de cabeça (44%), dificuldade de atenção (27%), perda de cabelo (25%) e falta de ar (24%). Segundo a Organização Mundial da Saúde, um em cada 4 pacientes pode permanecer com sintomas da doença por quatro ou cinco semanas depois de testar positivo para o vírus, e que uma em cada dez pessoas continua doente três meses depois dos primeiros sintomas.

Com objetivo de oferecer informações e continuar apoiando a população na luta contra a Covid-19, a Bradesco Saúde criou uma rede de referenciados (clínicas e hospitais) com foco no atendimento pós-Covid, em diversas cidades do país. Além disso, a Seguradora também lançou uma cartilha com dados e informações para ajudar a população a enfrentar esse momento pós-Covid.

Flavio Bitter: pacientes precisam ser diagnosticados e encaminhados para tratamentos específicos.

“Por parte das empresas do setor de saúde suplementar, é central a preparação de suporte multidisciplinar, olhando para os diferentes sintomas persistentes já registrados. Dessa forma, conseguimos atender adequadamente caso a caso. Queremos dar apoio não apenas aos nossos segurados como a todos que buscam informações sobre os quadros de sequelas”, explica Flavio Bitter, diretor-gerente da Bradesco Saúde.

“No pós-Covid, vemos as manifestações que podem atingir os sistemas pulmonar e cardíaco, a parte neurológica, músculos e articulações, além de todas as questões ligadas à saúde emocional. Essas pessoas precisam ser diagnosticadas e encaminhadas para tratamentos específicos de reabilitação, além de receber orientações sobre dieta, prática de atividade física e estilo de vida.”, conclui.