87% dos estudantes de medicina estão insatisfeitos com o ensino

As dificuldades na formação profissional a partir de métodos remotos foram expostas durante a pandemia no Brasil, em todos os níveis de educação. O contexto não é diferente dentro da área de medicina, que ficou ainda mais em evidência pela com o crescimento na demanda de profissionais para atuar na linha de frente da Covid-19. Pensando nisso, a startup Sanar, que atua na área de educação médica, fez uma pesquisa ouvindo estudantes de 177 diferentes faculdades de medicina do país.

Os números apontam uma necessidade de melhoria nos métodos utilizados no ensino a distância praticado na pandemia. Entre os ouvidos, 87% se mostraram insatisfeitos (totalmente ou parcialmente) com o ensino prestado pela sua faculdade entre março de 2020 e maio de 2021.

Os estudantes das faculdades de medicina que aplicam o método PBL (Aprendizagem Baseada em Problema) tiveram ainda mais dificuldades em se adaptar ao novo modelo. O estudo mostra ainda que alguns centros de educação foram se adaptando no andamento da pandemia e melhorando a experiência dos seus alunos.