Aplicativo fará triagem de pacientes com suspeita de Covid

A recomendação do Ministério da Saúde para pessoas que estão com sintomas de gripe e temem estar com Coronavírus é o isolamento domiciliar, sendo que a unidade de saúde deve ser procurada apenas em casos de falta de ar. A medida é justamente para evitar aglomerações e não sobrecarregar os hospitais, aumentando o risco de contaminação. Para contribuir na triagem dos pacientes que realmente necessitam de cuidados médicos, a EMBRAPII (Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial) e a empresa Baruq Sistemas e Consultoria desenvolveram um aplicativo de orientação e atendimento remoto para casos suspeitos.

A tecnologia está sendo criada pela Unidade EMBRAPII do Polo de Inovação do Instituto Federal Fluminense (IFF) e poderá ser utilizada gratuitamente pela população em versões Android e IOS. Prefeituras de municípios do Rio de Janeiro e de outros estados já demonstraram interesse no app.

Funciona assim: com o aplicativo, a pessoa que apresenta sintomas de gripe responderá a um questionário de autoavaliação, caso o sistema identifique como caso suspeito para Covid-19, a encaminhará para uma chamada de vídeo com um profissional de saúde que irá tirar dúvidas e orientar como proceder. O objetivo é evitar a automedicação e que as pessoas deixem suas casas desnecessariamente se expondo aos riscos de contágio. Na outra parte do sistema, os agentes de saúde cadastrados realizam os atendimentos de forma remota e por fila de priorização.

O projeto tem valor total aproximado de R$ 73 mil, sendo R$ 42 mil (57%) em recursos EMBRAPII. Segundo Rogério Atem de Carvalho, diretor do Polo de Inovação do IFF, o projeto vai introduzir novas funcionalidades ao aplicativo, como dimensionamento de fila, sistema de gestão de call center, atendimento automatizado e um mapa de calor, que identifica, em tempo real, as áreas de maior nível de contaminação com base nos dados contabilizados no sistema. “É uma ferramenta que vai potencializar a coordenação entre os sistemas de saúde públicos e a população em geral, melhorando a alocação dos recursos escassos, evitando o deslocamento e aglomeração de pessoas e empregando melhor o tempo dos profissionais de saúde”, afirma.

O aplicativo, cuja primeira versão já foi desenvolvida pela empresa, logo estará disponível para estados e municípios, devendo ser liberada em versões graduais em 30, 60 e 90 dias.

Iniciativas

A EMBRAPII adotou uma série de medidas que irão contribuir para o desenvolvimento de projetos emergenciais como este com o objetivo de viabilizar soluções que unam a pesquisa ao setor empresarial. Tudo de forma rápida, flexível e sem burocracia. Veja algumas ações:

• R$ 6 milhões destinados para startups e pequenas empresas. Desse total, R$ 2 milhões vieram da parceria com o SEBRAE. As tecnologias podem incluir softwares, sistemas inteligentes, hardware, peças, equipamentos médicos, entre outros;

• O modelo tradicional da instituição, que arca com até 1/3 do valor dos projetos com recursos não reembolsáveis, foi flexibilizado. Para atender a esta demanda emergencial, o estímulo será maior e avaliado de acordo com a necessidade de cada proposta;

• R$ 20 milhões da parceria EMBRAPII, Senai e ABDI para projetos de aplicação imediata destinados à prevenção, diagnóstico e tratamento da Covid-19. As propostas podem abordar temas como ampliação do número de respiradores; desenvolvimento de testes de detecção do vírus, equipamentos de proteção individual (EPIs), componentes de UTIs, entre outros.