Anestesia 4.0: Anestech inova com prontuário anestésico 100% digital

Com o intuito de ajudar pacientes e profissionais em momentos críticos, a Anestech faz a integração, rastreamento, análise e entrega de dados em tempo real, tudo isso por meio de business inteligente em nuvem e aplicações dedicadas para mobiles na sala de cirurgia. Com o AxReg, app gratuito que realiza o prontuário anestésico totalmente digital, a empresa vem promovendo mais segurança aos pacientes cirúrgicos e a melhora o fluxo de trabalho e da gestão de dados do anestesiologista.

Hoje, mais da metade dos pacientes internados em uma instituição hospitalar são cirúrgicos, e a média de cirurgia por paciente chega a 1,56. Os centros cirúrgicos são responsáveis por 40% do consumo de insumos de um hospital e por 70% da sua renovação de leitos. “Isso faz com que esse setor seja a ‘casa de máquinas’ das instituições e, ao mesmo tempo, apresente uma complexidade comparada a uma operação de guerra ou ao controle de tráfego aéreo, tratando do momento mais crítico da saúde dos pacientes: o cirúrgico”, explica o Dr. Diogenes Silva, CEO da Anestech.

De acordo com o executivo, a partir da gestão de dados do momento perioperatório, a empresa ajuda instituições e profissionais a melhorar o desempenho dos centros cirúrgicos e profissionais, gerando conhecimento através da excelência na gestão da informação imputada pela anestesiologia. “Estamos focados em realizar a Inovação Translacional, que é a inovação que se pode efetivamente colocar em prática no ambiente hospitalar e rapidamente coletar benefícios para a segurança do paciente, a gestão hospitalar e a proteção legal dos envolvidos”, ressalta.

Destacado entre as soluções mais inovadoras da saúde pela pesquisa da revista Medicina S/A, o AxReg integra, rastreia e analisa os dados perioperatórios em tempo real, criando informação gráfica para acompanhamento de líderes de equipe, gestores, comissões de qualidade e auditoria. “Isso permite que instituições passem a ter conhecimento de custo-efetividade, compreender os fatores de risco e as tendências de ocorrências, identificar situações que necessitam de intervenção urgente, melhorar a distribuição de recursos para benefício máximo com mínimo risco, e analisar o comportamento assistencial para modelar engajamento em políticas de segurança e excelência.”

Em 2012, o Mount Sinai Journal Of Medicine publicou que não há outra configuração clínica ou registro de prontuário médico que concentre tal abundância de dados fisiológicos e farmacológicos do paciente, coletados minuto-a-minuto, como o registro de anestesia. E mais: a anestesiologia é talvez a única especialidade de resultados imediatos, com margem de erro tendendo a zero.

Silva lembra que, independentemente da plataforma de prontuário eletrônico usada pelo hospital, o anestesista ainda trabalha com papel e caneta, perdendo até 40% do tempo de uma cirurgia para fazer o registro anestésico. “Algumas soluções apresentadas por grandes players não foram aceitas pelo mercado por não respeitar o fluxo de trabalho do anestesiologista e, às vezes, até colocá-lo de costas para o paciente”, revela.

Indicadores de Performance

Através de uma ferramenta mobile-friendly, com usabilidade e integrações únicas, o AxReg permite que o anestesiologista registre as informações sem dificultar a assistência do profissional ao perioperatório. Mediante a análise automática e contínua do conjunto de informações dos prontuários anestésicos, a Anestech entrega aos gestores mais de 55 indicadores de performance, entre os quais: tempo de turnover de sala, taxa de start operacional, estratificação de eventos adversos, taxa de ocupação, tempo de recuperação pós-anestésica, rastreabilidade de drogas e OPMEs, horas trabalhadas, absenteísmo anestésico, cirúrgico e de pacientes, controle de consumo de gasoterapia anestésica e assertividade da antibioticoprofilaxia cirúrgica.

Todas as informações são disponibilizadas através de dashboard administrativo gráfico, construído em tempo real a partir dos dados imputados pelos anestesiologistas. “A anestesiologia é uma excelente e praticamente inexplorada fonte de informação para a gestão desse importante centro assistencial e de rendimento que é o centro cirúrgico. Muitos gestores vão dizer que já possuem essas informações de outras fontes e plataformas. Mas de que fontes? Como esses dados são coletados? Quando? E como são tabulados e transformados em informação consumível?”, indaga o CEO da Anestech, lembrando que esse processo de coletar dados indiretamente desrespeita as limitações humanas e são suscetíveis a falhas.

“O objetivo da Anestech não é substituir esses dados, mas complementá-los com um conjunto de informações de origem confiável, em um influxo constante, grande volume e direto do point-of-care”, assegura.

Nuvem

Para o executivo, as soluções cloud-based facilitam a interoperacionalidade das plataformas e preparam as instituições para o futuro da gestão dos dados do paciente, o chamado “Caminho Verde”: a disponibilização dos dados do paciente para os profissionais de saúde desde a atenção básica até a terciária, mantendo todos os parâmetros de segurança e sigilo necessários e evitando erros.

Entre outras vantagens, Silva destaca a implantação rápida e descomplicada, a usabilidade e a portabilidade de informações a partir do consumo de dados estruturados, agilizando o trabalho de setores como o faturamento hospitalar.

Empresa incubada pela Eretz.bio, do Hospital Albert Einstein, e pelo MIDITEC da ACATE, em Florianópolis, a Anestech está em 526 instituições de saúde. Disponibilizar o AxReg para toda a América Latina e publicar estudos de custo-efetividade que mostram os benefícios assistenciais e econômicos de se medir o momento perioperatório estão entre os próximos passos da empresa. “Nossa meta é impactar o setor fortemente levando toda a especialidade e o desafio periopeartório para um patamar isento de achismos e de eventos adversos evitáveis e custos desnecessários”, conclui.


Mais informações da Anestech: www.anestech.com.br

Reportagem publicada na Revista Medicina S/A, edição 1. Acesse a publicação.