EMBRAPII: 7 inovações da indústria contra a Covid-19

Com o início da vacinação contra a Covid-19 no Reino Unido aumentam ainda mais as expectativas para que a população mundial possa ser imunizada colocando fim à pandemia, no entanto, enquanto as pesquisas avançam nos testes de novas vacinas, a indústria brasileira tem desenvolvido projetos de inovação que ajudam no diagnóstico, tratamento e enfretamento à doença. As novas tecnologias desenvolvidas por empresas de todo o país contam com o financiamento e apoio da Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (EMBRAPII) que oferece especialistas dos institutos de pesquisa que integram sua rede de inovação. São mais de 60 novas tecnologias viabilizadas na área. Veja alguns exemplos:

Teste rápido (IPT – SP)

Criado por uma startup, este teste tem espera máxima de uma hora para o resultado e sem necessidade de exposição ao ambiente hospitalar. Capaz de identificar a presença de material genético do coronavírus na saliva. Este modelo permite o diagnóstico em estágio inicial e evita a contaminação de outras pessoas.

Monitoramento de contágio (IFPB)

Criado por uma startup, software permitirá mapear, com uso de Inteligência Artificial, o risco de contágio do novo coronavírus no ambiente de trabalho e locais de grande circulação de pessoas.

Triagem remota (Instituto Senai de Inovação RS)

Uma nova tecnologia vai evitar que profissionais de saúde que atuam nas triagens de unidades hospitalares fiquem expostos no momento do atendimento inicial a pacientes que suspeitam de Coronavírus. O sistema usa Inteligência Artificial para analisar o paciente de maneira remota a partir de sinais vitais e respostas a um questionário no momento da triagem.

Ventilador Pulmonar (Inatel – MG)

O aparelho é capaz de controlar com maior precisão o fluxo de gases medicinais. O objetivo é disponibilizar, rapidamente, o equipamento ao mercado nacional.

Respirador da NASA (Senai Cimatec BA)

Desenvolvimento em escala de um novo tipo de ventilador pulmonar. O aparelho criado pela NASA, é o primeiro a ser homologado no mundo e já obteve a homologação da Anvisa para a produção industrial.