Grupo Pardini soma receita de R$ 370 milhões no 3º trimestre

Em comunicado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), o Grupo Pardini divulgou seus resultados referentes ao terceiro trimestre de 2019. A companhia teve o melhor desempenho financeiro da sua história, com crescimento na receita, margens bruta e líquida e volume de exames.

Segundo o Presidente-Executivo, Roberto Santoro, o resultado apresentado é uma consequência das ações de melhoria implementadas durante o ano, bem como do crescimento da operação e consolidação dos projetos de eficiência operacional. “Seguimos investindo fortemente em tecnologia, produção e experiência do cliente, gerando valor sustentável para acionistas e contribuindo, ativamente, para o avanço da cadeia de saúde do Brasil”, afirma.

Com conclusão do projeto Enterprise prevista para o fim do ano, os resultados já transparecem por meio da redução de custo e aumento da capacidade instalada de produção – fatores que melhoraram a competitividade e apoiaram a alavancagem dos números positivos.

O volume de exames aumentou 3,6% no 3º trimestre, comparado ao mesmo período do ano passado. Consolidando os números dos nove meses de 2019, o crescimento foi de 6,5%, totalizando 74,5 milhões de testes realizados em todo o Brasil. Em outubro, a Companhia alcançou recorde mensal de produção de 9,3 milhões de exames.

A receita bruta atingiu R$ 370,8 milhões no 3º trimestre, um crescimento de 9% em relação ao mesmo período de 2018. Nos nove meses de 2019, a receita bruta esteve no patamar de R$ 1,1 bilhão – ou seja, a companhia atingiu um aumento de 12,4% quando comparado com o mesmo período de 2018.

O crescimento da receita bruta foi percebido nos dois principais canais de venda da companhia. No PSC, que são as unidades próprias de atendimento, o aumento de 4,7% foi resultado do bom desempenho em Minas Gerais e Goiás e a continuidade da expansão dos serviços de análises clínicas e imagem em São Paulo. Nos nove meses de 2019, a receita bruta do PSC atingiu R$ 498,8 milhões, evolução de 6,6% na comparação com o mesmo período de 2018, quando a receita bruta desta atividade atingiu R$ 467,9 milhões.

No Lab-to-Lab, canal que presta serviços a outros laboratórios em todo o país, a receita bruta aumentou 14,5%, sobretudo como decorrência da consolidação dos números da Toxicologia Pardini. Nos nove meses de 2019, a receita bruta neste canal de coleta atingiu R$ 618,0 milhões, evolução de 19,5% na comparação com o mesmo período de 2018.

No terceiro trimestre de 2019, o lucro bruto cresceu 16,5% em relação ao mesmo período do ano passado. Nos nove meses de 2019, o lucro bruto atingiu R$ 308,1 milhões, ante R$ 264,9 milhões no mesmo período de 2018.

Já a margem bruta consolidada no 3º trimestre foi de 31,5%, aumento de cerca de 193 bps em relação ao mesmo período do ano passado – resultado da transição de alguns grupos de exames para o modelo Enterprise e a automação de exames especializados. No consolidado do ano, o percentual é de 30,1%. “Conseguimos retomar a margem bruta para níveis históricos, compensando a queda de preço ocorrida em 2018, através de maior eficiência interna”, destaca Santoro.

O lucro líquido atingiu R$ 44,2 milhões no 3T19, aumento de 29,6% na comparação com o 3T18. A margem líquida foi de 12,8% no 3T19, aumento de 199 bps.