Nexodata

Futuro da medicina passa pela prescrição eletrônica

Com solução all-in-one de receita digital, Nexodata leva a melhor experiência para pacientes, médicos, hospitais, farmácias e empresas de tecnologia.

A pandemia impulsionou diversas mudanças importantes, entre elas, a forma como os médicos fazem as prescrições. Tecnologias que já eram aplicadas em serviços de saúde de outros países avançaram no Brasil, a exemplo da teleme­dicina. A receita médica digital para prescrição de medicamentos e exames ganhou impulso e escala. Do ponto de vista de geração de negócios, o País acompanhou a tendência mundial.

Para a NexoData, healthtech especializada em receitas digitais, esse movimento representou um crescimento da companhia em quase 15 ve­zes. “Fundamos a Nexodata em 2017 com um pro­pósito: antecipar o futuro no sistema de saúde e, desde o início, já acreditávamos que, através da prescrição eletrônica, seria possível proporcionar uma melhor experiência para pacientes, médicos e farmacêuticas”, conta Pedro Dias, cofundador e CEO da Nexodata.

Para o executivo, é possível que 2020 tenha sido o ano mais importante da história da saúde do pon­to de vista da digitalização. “Tivemos o avanço de tecnologias importantes aqui, a aprovação do uso da telemedicina no combate à Covid, a receita mé­dica digital também cresceu e passou a ser uma realidade”. Em 2021, acredita, a tendência é que isso se intensifique.

O otimismo é justificado. Pedro Dias vê o crescente interesse de gestores, lideranças e principais executivos do setor de saúde em fomentar a transformação digital dentro do seu ecossistema. “Mesmo com a palavra digitalização sofrendo certa resistência, os gestores entenderam que é um meca­nismo para tornar o setor mais eficiente e levar uma expe­riência melhor para os profissionais e para os pacientes”, conta, lembrando que o Brasil é um país grande, diverso e financeiramente desigual. “É sempre um desafio conseguir aplicar a digitalização em uma escala nacional. Vontade não falta. É necessário ter coragem em mente, porque não é fácil mudar o status quo, seja ele qual for”, ressalta.

Outro ponto positivo é a intensificação do volume de transações e parcerias entre as healthtechs. “Desde o ano passado, temos fortes indícios de que isso deve crescer cada vez mais. Vários fundos de venture capital, que antes não investiam no setor de saúde, por algum tipo de receio, hoje já contam com várias empresas de tecnologia no seu portfólio. Essa entrada do capital e o apoio dos investi­dores aos empreendedores que estão tentando melhorar e mudar o setor de saúde são uma tendência que vai se traduzir em consolidação em algum momento. Uma ten­dência positiva. Cada vez mais, as fusões e as aquisições entre healthtechs serão frequentes.”

Experiência 100% digital

Para o executivo, outro grande avanço a se enfatizar foi a adoção da tecnologia da receita digital em boa parte das redes de farmácias pelo Brasil. “Começamos 2020 com praticamente zero farmácias conectadas à Nexodata e terminamos o ano com mais de 20 mil farmácias espalha­das por mais de 3 mil cidades do Brasil, tendo beneficiado mais de um milhão de pacientes”, conta.

Isso porque a receita digital traz mais visibilidade, con­trole e segurança para o médico no processo prescritivo, além de permitir um processo de compra simples para o paciente, que não precisa mais do papel. Além disso, as prescrições emitidas estão em conformidade com os padrões exigidos pelo ICP-Brasil.

“Temos como principal objetivo a digitalização do pro­cesso prescritivo de receitas, medicamentos e pedidos de exames. Em 2020, avançamos muito em relação a esse propósito. Conseguimos entregar uma experiência 100% digital, sem necessidade do uso de papel, para todos os médicos e pacientes que fazem parte do ecossistema da Nexodata. Foi possível, mesmo no meio da pandemia, que os médicos conseguissem gerar uma receita a dis­tância, de forma segura, permitindo que os pacientes continuassem os seus tratamentos. Pela primeira vez, no ano passado, o papel não era necessário para acessar o tratamento”, comemora.

Crescimento

Para 2021, a palavra é crescimento. “Nossa expectativa é aumentar em dez vezes a rede de clientes da Nexodata. O único jeito de conseguir fazer isso é mantendo um nível de serviço ex­celente, construindo um time maior e melhor. Vamos dobrar o tamanho da empresa em nú­mero de funcionários já no primeiro trimestre de 2021, e a expectativa é triplicar o tamanho da equipe até o final do ano”, ressalta o executivo.

Pedro Dias ressalta que a empresa segue de­terminada em levar os serviços de prescrição eletrônica para a maior quantidade possível de instituições de saúde no Brasil. O foco é seguir aprimorando as soluções, buscando levar uma melhor experiência digital na elaboração das receitas médicas e no processo de compra dos medicamentos. Para isso, a empresa pretende investir R$ 10 milhões, que serão destinados para parcerias e novos lançamentos. “Queremos permitir que mais profissionais da saúde e que mais pacien­tes consigam ter uma experiência de compra de medicamentos ou ter uma experiência no acesso ao tratamento medicamentoso 100% digital, de modo seguro e sem a necessidade do uso do papel”, diz.

A empresa quer se posicionar como uma das re­ferências na área e continuar sendo protagonista no cenário de inovação e digitalização do setor de saúde no Brasil. Para isso, conta com uma rede de parceiros que são referência em saúde. “Queremos continuar investindo nessas parcerias e no apri­moramento das nossas soluções, sempre com o objetivo de levar uma experiência melhor para os profissionais de saúde e para os pacientes do Brasil. Esse é o nosso foco para 2021”, conclui.


Acesse mais informações em: www.nexodata.com.br

Medicina S/A

WWW.MEDICINASA.COM.BR
[email protected]

O melhor conteúdo sobre Gestão, Tecnologia, Inovação, Negócios e Boas Práticas na Saúde